IV FPSL e FISL6.0

Em 2005 já tinha voltado a trabalhar com programação em VB/Sql Server, mas usando MySql para testes até que vi na farmácia de um supermercado um computador com a logo do MySql, isso me deu um gás! Por conta própria trabalhei na adaptação do sistema da empresa para MySql, o pessoal não aprovou a minha idéia, mas valeu para meu aprimoramento.🙂

Em abril de 2005 chega o IV Fórum Paraense de Software Livre, aí já deu pra ir parte da moçada que estavam trabalhando em lugares diferentes. Já não saia “voando” de algumas palestras, já reconhecia algumas pessoas: Hélio Castro, Djalma Valois. Três pontos importantes pra mim:

O primeiro foi o tutorial sobre “Novas características do PostgreSQL 8” do Eduardo Stern, gostei do lance dos save points.

O segundo foi o debate sobre “Banco de dados em ambiente Linux” onde rolou um fight muito porreta em especial a galera metralhando o cara do Oracle.

O terceiro foi o tutorial “Slackware: anatomia da fera!” ministrado pelo Piter Punk, foi Pai d’Égua saber da história da criação da distribuição. Agora foi o Bené e o Ordácio que saíram “voando”. Como o Kleber tava com uma pressa danada de ir embora, e a câmera era dele, foi uma correria para tirar mas algumas fotos. Deu pra registrar o momento em que o Piter Punk ia procurar um projetor para exibir a apresentação dele e ainda encontramos com o Odiney para tirar uma foto com o Hélio Castro.

IV Fórum Paraense de Software Livre
Kleber, Piter Punk, Eu e Ordácio
IV Fórum Paraense de Software Livre
Eu, Hélio Castro, Ordácio e Kleber
IV Fórum Paraense de Software Livre
Bené, Eu, Ordácio e Kleber

No final do Fórum, o pessoal estava distribuindo uns folhetos do FISL6.0, levei pra casa e fiquei pensando na possibilidade de ir conhecer. Convidei novamente a galera, mas tava todo mundo liso. Não contei história, paguei logo a inscrição para incentivar a ir de uma vez, raspei a minha conta no banco e paguei na “xincha” a passagem aérea, tava faltando a hospedagem. Tinha uma galera do grupo linuxpaid’égua que estava se mobilizando para ir. Falei com um cara chamado Walter Alves para ver o hotel que eles iam ficar, mas o preço tava salgado pra mim. Conversei com meu tio Nagi sobre o assunto da hospedagem em Porto Alegre e ele falou com o companheiro Cunha dos Radialistas do Pará, ele entrou em contato com os Radialistas do Rio Grande do Sul. Prontamente conseguiram uma hospedagem pra mim do apê dos Radialistas, agora só faltava roupa de frio e uma câmera🙂. Em casa parecia campanha do agasalho, todo mundo me emprestou uma roupa de frio, acabou que nem precisei usar todas, não tava tão frio por lá. A Márcia, minha prima, conseguiu uma câmera emprestada de um amigo. Faltava mais alguma coisa. Encomendei um livro que tava afim de ler um tempão: “Só por prazer – Linux – Os bastidores da sua criação”, recomendo. Agora já podia viajar.

Chegando em Porto Alegre, fui recebido muito bem por uma comitiva dos Radialistas-RS, conheci o Caverna onde foi me falando um pouco da cidade, me explicando para onde era o evento, qual ônibus ir e vir, me deixaram no apê e nos 3 dias seguintes foi só curtição. O mais engraçado é que eventos desse tipo você não se sente só, eu fui só, mas não estava só (entende?).

Depois de ver a palestra do Alexandre Magno sobre Firebird, fui conhecer o Walter Alves, engraçado termos que ir para uma outra cidade para conhecer gente daqui mesmo. A minha rotina era caçar a melhor palestra possível de meu interesse, pois eram muitas opções. Encontrava com o Walter pelo salão de exposição, tirávamos fotos com as “celebridades” do Software Livre e pelo menos agente podia falar “chiando” e dizendo égua sem ninguém tá olhando e dizendo: “Você não é daqui?”. Muito engraçado.

Procurei ver todas as palestras possíveis sobre Banco de Dados e Desenvolvimento.

O pessoal do Mono Brasil, apresentaram o Mono Develop onde pretende executar programas desenvolvidos em .Net para a plataforma Linux, isso me animou bastante. Fora a algazarra que eles faziam pelo Fórum dizendo: “Irmãos, vamos libertar vocês do monopólio do Satanás”, e outras coisas do tipo. Foi firme!

Destaque para a palestra do Josh Berkus sobre as novidades para o PostgreSQL 8.1

Debate sobre Orientação a Objeto na Visão Prática das Linguagens de Programação, com o Daniel Russo, Hélio Castro, Julio Neves, Luciano Ramalho e Paloma Costa. Foi instrutivo e ao mesmo tempo ilário.

Linux e seus sabores – Sulamita Garcia, onde ela falou sobre as características das principais distribuições Linux

As novidades do PHP5 – Pablo Dall’ Oglio, foi a palestra mais sinistra pra mim, pois não sabia nada de php, quanto mais assimilar as novidades dele. Mas foi um incentivo pra estudar a linguagem.

O Futuro do Software Livre no Brasil em Debate – onde colocaram na mesma mesa representantes da comunidade, empresas privadas e governo. Foi muito bom ver o ponto de vista de cada segmento sendo confrontado com os outros.

O Histórico do Linux no Brasil e o The Linux ManualHugo Cisneiros. Foi firme ver o cara que criou um dos manuais que ajudaram e ajudam muitas pessoas, assim como eu, a aprender Linux em bom português. Linux na pele!

Software Livre é Coisa pra Macho? 5 Anos de Linuxchix Brasil – As meninas do grupo falaram sobre como as mulheres sofrem com o preconceito no universo da informática, assim como na vida. E mostraram que elas não estavam lá por serem lindas e simpática, mas sim pela capacidade técnica delas. O que seria de nós homens sem as mulheres?

The Cathedral and the Bazaar – Eric S. Raymond, já tinha visto o documentário “Revolution OS” e ouvir o ponto de vista de um dos mentores do movimento Open Source foi muito empolgante.

E na empolgação não vi que era no mesmo horário da palestra do Walter, mas depois percebi que tinha sido filmada e pude ver mais tarde, ele falou da migração do Aslan para Software Livre, muito boa.

Para finalizar as palestras que vi: Pirated Software Is Not Free – John “Maddog” Hall – incentivando as pessoas a usar software livre ao invés de software proprietários e piratas.

Show a parte foi o encerramento, onde tocou como fundo All Star do grupo Smash Mouth, entrou um bando de palhaços com perna de pau jogando no “pisão” doces e balas. A galera foi ao delírio.

6° Fórum Internacional de Software Livre

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s